Title1
Description Content1

Title2
Description Content2

Title3
Description Content3

Title4
Description Content4

Title5
Description Content5

Somos um casal na Melhor Idade que ajuda outras pessoas a planejar e realizar a viagem de seus sonhos, com dicas, orientações, elaboração de etinerários e planejamento...

terça-feira, 19 de maio de 2015

Chegamos em HUMAHUACA | Argentina

Chegamos a cidade de Humahuaca, de 18.000 habitantes a 4.100 metros de altitude, foi fundada em 1590, hoje totalmente colonial.

Um adolescente nativo vai ser nosso guia, para ter algum ganho e ser um trabalho preventivo contra as drogas ou álcool.

A primeira coisa que fez para presentar-se foi recitar um poema de Fortunado Ramos:


Yo jamás fui un niño

Fortunato Ramos

Mi sonrisa es seca y mi rostro es serio, 
mis espaldas anchas, mis músculos duros 
mis manos partidas por el crudo frío 
sólo ocho años tengo, pero no soy niño. 

Detrás de mis ovejas ando por el cerro 
y cargau mi leña bajo hasta mi puesto 
a soplar el fuego, a mismiar mi soga, 
y no tengo tiempo para ser un niño. 

Los años caminan y todo es lo mismo, 
moti, sal con lechi son mis caramelos, 
mi juguete un chivo o el perro ovejero, 
poco tiempo tengo, pero no soy un niño. 

Mi avión de juguete es un cuervo viejo, 
mi camión un burro de trotar muy lento, 
mi amigo, es el zorro que roba mis cabras 
y es todo mi consuelo de poder ser niño. 

Mi rostro es de viejo y mi andar de agüelo, 
mis callos partidos por piedras del cerro, 
mi poncho rotoso por el fuerte viento, 
todo eso me dice, que no soy un niño. 

¡Y no hay reyes magos, 
no hay Días del Niño, 
jamás tuve suerte 
de poder ser niño! 


Tradução:

Eu jamais fui criança
Fortunato Ramos 

Meu sorriso é seco e meu rosto é sério,
meus ombros largos, meus músculos rígidos
minhas mãos pertidas com frio seco
apenas oito anos eu tenho, mas eu não sou uma criança.

Atrás de minhas ovelhas ando pela colina
e carregado de lenha desço até meu posto
para assoprar o fogo, enrolar minha corda,
e eu não tenho tempo para ser criança.

Os anos caminham e tudo é o mesmo,
Sementes, leite e sal são meus caramelos,
meu brinquedo é uma cabra ou cão pastor,
Tenho pouco tempo, mas eu não sou uma criança.

Meu avião de brinquedo é um velho corvo,
meu caminhão um jumento muito lento,
meu amigo, é a raposa que me rouba as cabras
e é todo o meu conforto de ser uma criança.

Meu rosto é de velho e meu andar de avô,
meus calos rachados pelas pedras do morro,
meu poncho esfarrapado pelo forte vento,
tudo isso me diz que eu não sou uma criança.

E não há reis magos,
nenhum Dia da Criança,
Eu nunca tive a sorte
de ser uma criança!


Fotos:

MONUMENTO aos Heróis da Independência, no centro tem a figura de um mestiço de 10 mertos de altura, nos lados gaúchos nortenhos e nativos humahuacas:









RELÓGIO
ao meio-dia sai São Francisco e abençoa com uma cruz no braço, no final levanta a cabeça e se despede. O santo nasceu em Barcelona e o mataram no Peru:

















IGREJA construída em 1631 e a mais antiga da Quebrada:




Um fato interessante da cidade é que os casais combinam uma experiencia matrimonial como experiência sem nenhum compromisso, sem tempo definido, e no caso de ter um filho se depois se separam é criado pela avó materna.

Outras fotos, Praça, Prefeitura, Praça da Mãe e ruas principais:


Prefeitura






Praça da Mãe

Praça da Mãe







Nenhum comentário :

Postar um comentário

Postagens mais visitadas